Blumenau

O TikTok vai mudar! As dancinhas dão lugar aos vídeos longos?

todaynovembro 28, 2023

Fundo
share close

O TikTok chegou ao cenário das redes sociais com um grande diferencial: promover vídeos curtos e divertidos! Na geração mais acelerada de todos os tempos, a proposta parecia perfeita. Isso porque, segundo a MIT Technology Review Brasil, filial da maior revista de tecnologia do mundo, a Geração Z está buscando cada vez mais praticidade, entregas em curto prazo, poucos cliques. Ou seja, tudo mais acelerado!

Bondart Photography/Shutterstock

Essa foi uma das razões pela qual o YouTube, que era a grande rede social de vídeos disponível, foi deixada de lado. Com vídeos longos e bem produzidos, os jovens da Geração Z cresceram consumindo esse tipo de conteúdo, mas migraram para o TikTok. Com isso, o YouTube fez de tudo para se tornar parecido com o TikTok. E agora, o TikTok que está querendo se tornar mais como o YouTube.

 

Como o TikTok está mudando?

Com um incentivo do próprio TikTok, há um esforço agressivo em direção aos vídeos de formato longo. A ideia é que seus criadores façam vídeos mais longos pela própria plataforma, ao invés de migrar para os seus concorrentes. A comunicação oficial do TikTok afirma que “Com vídeos mais longos, você tem mais tempo e flexibilidade para usar a sua criatividade“.

E a organização vem tomando medidas imediatas para a mudança! Em outubro, o TikTok convidou diversos criadores de Nova York para um evento criado para os incentivar a criar vídeos com um minuto ou mais de duração. Como incentivo, os executivos afirmaram que, ao aderir aos vídeos mais longos, os criadores ganharão mais dinheiro. E os criadores estão atendendo à tendência!

@barbramarcondes

EXPERIÊNCIAS RUINS ACONTECEM, só não manda mensagem pra ex 🗣️ #CapCut #foryoupage #foryou #fy

♬ som original – Barbra

Vídeo de Bárbara Marcondes

 

Por que vídeos longos?

A ideia veio a partir da competivividade publicitária do TikTok, que, apesar de ser a plataforma com maior número de usuários ativos mundialmente, não consegue obter o mesmo nível de receita publicitária que o YouTube alcança.

E isso, com certeza, terá um impacto no comportamento dos usuários! Segundo pesquisa da GWI, focada em comportamento de consumo, vídeos de até 4 minutos já são mais assistidos por todas as gerações. O que, segundo diversos especialistas, gera o “efeito dopamina”, causando cada vez mais ansiedade nos consumidores.

Com o crescimento da tendência do slow content, que preza por mais qualidade e menos quantidade nos conteúdos, é possível que a ansiedade dê uma diminuida? Essas são cenas para os próximos capítulos!

 

Leia mais:

Escrito por Marina Soares

Rate it

A RÁDIO ATLÂNTIDA

A maior geradora multiplataforma de inovação e conteúdo jovem de Santa Catarina e a melhor vibe do FM!

SINTONIZE

Ouça a rádio da sua vida

QUERO ANUNCIAR!